Arquivo da categoria ‘Gestão de Pessoas’

Achei muito interessante este comercial que está sendo vinculado na internet. Trata-se de um comercial da empresa Tailandesa True Move que presta serviços de TV a cabo e Internet.

É um bom exemplo de que na vida você colhe o que você planta. Quando queremos fazer o bem não escolhemos quem.

Somos jovens, dinâmicos, antenados, inquietos e muitas vezes impacientes.   Fazemos parte da Geração Y porque nascemos entre 1978 e 1988.  Crescemos jogando video-game, ouvindo música e acessando a internet,   portando tecnologia faz parte de nossas vidas. Somos os donos da maioria dos blogs e  também populamos a maioria das comunidades e redes sociais.   Gostamos de mudanças e detestamos monotonia.

Quando o assunto é carreira, estamos sempre procurando conhecimentos técnicos e capacitação profissional. Trabalhamos melhor em equipes e procuramos empregos que ofereçam flexibilidade de horário, mobilidade (home office) e planos de carreira. Adoramos respostas às nossas questões, pois perguntamos muito. Queremos reconhecimento e promoções o quanto antes. Não temos medo de arriscar e a busca por novos ares ocorre com mais frequência.

por Guilherme Tossulino

Segue abaixo dois videos interessantes exibidos pelo Jornal da Globo.

Eles abordam desde o processo do surgimento de novas gerações, a forma como elas se relacionam no mercado de trabalho e os conflitos que surgem entre elas.

Como as gerações pensam e agem, e o que as empresas vem fazendo para se adaptar a esta nova realidade.

Vale a pena conferir e tentar entender este ambiente de interação e convivência entre as gerações:

Cada um faz a sua história, a do Senna em particular é unica. Uma história sem fim, eterna.

Ele deixou sua marca, lutar sempre buscando a superação de seus  limites. Com paixão, energia e audácia.

Nossas manhãs de domingo, eram mais emocionantes, não eram?  O orgulho de ser brasilerio se resumia na seguinte frase ” Acelera Ayrton”.

Esta frase se tornava mais emocionante após o cruzamento da linha de chegada.

Quase sempre seguida de um simples jargão. Jargão este  que representava muito para nós brasileiros.

“Ayrton, Ayrton Senna do BRASIL”.

Hoje faz exatamente 17 anos de sua morte. Mesmo após sua morte, nosso herói nos deixou como ensinamento o seu espírito vencededor.

“”Seja você quem for, seja qual for a posição social que você tenha na vida, a mais alta ou a mais baixa, tenha sempre como meta muita força, muita determinação e sempre faça tudo com muito amor com muita fé em Deus, que um dia você chega lá. De alguma maneira você chega lá.” Ayrton Senna

Semana mundial do Amigo

Publicado: 6 de abril de 2011 em Gestão de Pessoas

Esta é a semana mundial do amigo, segue abaixo as minhas homenagens….

Eu e você somos amigos….
Você fica alegre e eu fico alegre…
Você fica triste e eu fico triste….
Por favor FIQUE RICO

O Protesto na Praça da Paz Celestial (Tian’anmen) em 1989, mais conhecido como Massacre da Praça da Paz Celestial, ou ainda Massacre de 4 de Junho consistiu em uma série de manifestações lideradas por estudantes na República Popular da China, que ocorreram entre os dias 15 de abril e 4 de junho de 1989. O protesto recebeu o nome do lugar em que o Exército Popular de Libertação suprimiu a mobilização: a praça Tiananmen, em Pequim, capital do país. Os manifestantes (em torno de cem mil) eram oriundos de diferentes grupos, desde intelectuais que acreditavam que o governo do Partido Comunista era demasiado repressivo e corrupto a trabalhadores da cidade, que acreditavam que as reformas econômicas na China haviam sido lentas e que a inflação e o desemprego estavam dificultando suas vidas. O acontecimento que iniciou os protestos foi o falecimento de Hu Yaobang. Os protestos consistiam em marchas (caminhadas) pacíficas nas ruas de Pequim.

Devido aos protestos e às ordens do governo pedindo o encerramento dos mesmos, se produziu no Partido Comunista uma divisão de critérios (opiniões) sobre como se deveria responder aos manifestantes. A decisão tomada foi suprimir os protestos pela força, no lugar de atenderem suas reivindicações. Em 20 de maio, o governo declarou a lei marcial e, na noite de 3 de junho, enviou os tanques e a infantaria do exército à praça de Tiananmen para dissolver o protesto. As estimativas das mortes civis variam: 400 a 800 (segundo o jornal The New York Times), 2600 (segundo informações não identificadas da Cruz Vermelha chinesa) e sete mil (segundo os manifestantes). O número de feridos se estima entre sete mil e dez mil. Diante da violência, o governo prendeu um grande número de manifestantes para suprimir os líderes do movimento, expulsou a imprensa estrangeira e controlou completamente a cobertura dos acontecimentos na imprensa chinesa. A repressão do protesto pelo governo da República Popular da China foi condenada pela comunidade internacional.

No dia 4 ocorreu a cena mais conhecida dos eventos: foi tirada a fotografia vencedora do World Press Photo de 1989, na qual é mostrada Chen Yat-Sen (1931-1998), um professor de Literatura parado no meio de uma avenida detendo a fileira de tanques que circulava por ela, em frente à porta da Cidade Proibida, até ser puxado o professor impediu que os tanques avançassem entrando em sua frente, em uma das cenas mais espantosas ele deita em frente ao tanque e o soldado tenta contornar, Chen levanta-se e novamente entra em frente ao tanque. Ainda, sua foto, estampou manchetes mundo afora e ganhou o Prêmio Pulitzer em 1990, esta foto mostrou a um bilhão de chineses que ainda havia esperança.

Quem Mexeu no Meu Queijo

Publicado: 15 de março de 2011 em Gestão de Pessoas

É uma parábola que revela verdades profundas sobre mudança. Dois ratinhos e dois homenzinhos vivem em um labirinto em busca de queijo – uma metáfora para o que se deseja ter na vida: seja um bom emprego, um relacionamento amoroso, dinheiro, saúde ou paz espiritual. Um deles é bem-seucedido e escreve o que aprendeu com sua experiência nos muros do labirinto. As palavras rabiscadas nas paredes ensinam a lidar com a mudança para viver com menos estresse a alcançar mais sucesso no trabalho e na vida pessoal.
Quem mexeu no meu Queijo? é uma leitura rápida mas suas idéias permanecerão por toda a vida.


Entre as característica dos grandes lideres, destaco a atitude como algo realmente fundamental no processo de influenciar equipes.
Neste vídeo é possível entender bem o significado de influenciar as pessoas para um objetivo.
Assista o video e tente identificar:
Quais foram as atitudes do garoto que possibilitaram que ele atingisse o seu objetivo?
Aponte 3 atitudes do garoto que mais se identificam com você?

Você Tem Experiência?

Publicado: 19 de fevereiro de 2011 em Gestão de Pessoas

No processo de seleção da Volkswagen do Brasil, os candidatos deveriam responder a seguinte pergunta: ‘Você tem experiência?’

A redação abaixo foi desenvolvida por um dos candidatos. Ele foi aprovado e seu texto está fazendo sucesso, e com certeza ele será sempre lembrado por sua criatividade, sua poesia e acima de tudo por sua alma.

Redação Vencedora:

Já fiz cosquinha na minha irmã pra ela parar de chorar.
Já me queimei brincando com vela.
Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto.
Já conversei com o espelho, e até já brinquei de ser bruxo.
Já quis ser astronauta, violonista, mágico, caçador e trapezista.
Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora.
Já passei trote por telefone.
Já tomei banho de chuva e acabei me viciando.
Já roubei beijo.
Já confundi sentimentos.
Ja peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido.
Já raspei o fundo da panela de arroz carreteiro.
Já me cortei fazendo a barba apressado.
Já chorei ouvindo música no ônibus.
Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que eram as mais difíceis de esquecer.
Já subi escondido no telhado pra tentar pegar estrelas.
Já subi em árvore pra roubar fruta.
Já caí da escada de bunda.
Já fiz juras eternas.
Já escrevi no muro da escola.
Já chorei sentado no chão do banheiro.
Já fugi de casa pra sempre, e voltei no outro instante.
Já corri pra não deixar alguém chorando.
Já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo falta de uma só.
Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e alaranjado.
Já me joguei na piscina sem vontade de voltar.
Já bebi uísque até sentir dormente os meus lábios.
Já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar.
Já senti medo do escuro, já tremi de nervoso.
Já quase morri de amor, mas renasci novamente pra ver o sorriso de alguém especial.
Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar.
Já apostei em correr descalço na rua.
Já gritei de felicidade.
Já roubei rosas num enorme jardim.
Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um ‘para sempre’ pela metade.
Já deitei na grama de madrugada e vi a Lua virar Sol.
Já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos, e a vida é mesmo um ir e vir sem razão.

Foram tantas coisas feitas…

Tantos momentos fotografados pelas lentes da emoção e guardados num baú, chamado coração.
E agora um formulário me interroga, me encosta na parede e grita: ‘Qual sua experiência?’ Essa pergunta ecoa no meu cérebro: experiência… experiência… Será que ser ‘plantador de sorrisos’ é uma boa experiência? Sonhos!!! Talvez eles não saibam ainda colher sonhos! Agora gostaria de indagar uma pequena coisa para quem formulou esta pergunta: Experiência? Quem a tem, se a todo o momento tudo se renova?

(Publicado no jornal interno do RH – Volkswagen do Brasil – nome do candidato não mencionado)

Um homem entra no banho enquanto a sua mulher acaba de sair dele e se enxuga. A campainha da porta toca. Depois de alguns segundos de discussão para ver quem iria atender, a mulher desiste, enrola-se na toalha e desce as escadas.

Quando abre a porta, vê o vizinho Bob na soleira. Antes que ela possa dizer qualquer coisa, Bob diz:

– Dou-lhe dez mil reais se deixar cair essa toalha.

Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixa a toalha cair e fica nua. Bob, então, entrega-lhe os dez mil reais prometidos e vai-se embora.

Confusa, mas excitada com sua sorte, a mulher enrola-se novamente na toalha e volta para o quarto. Quando entra no quarto, o marido grita do chuveiro:

– Quem era?

– Era o Bob, o vizinho da casa ao lado, diz ela.

– Ótimo! Ele pagou os dez mil reais que me devia?

Moral da história:

Quem compartilha informações pode evitar exposições desnecessárias.
Compartilhar informações dentro da empresa é uma das leis básicas da Gestão do Conhecimento